VERDE DO MEU JARDIM

Eu tenho vinte e oito anos de idade e nunca parei pra observar as flores que estão perto de mim, todos os dias. Moro nesta casa desde os meus treze anos, ou seja, são quinze anos que elas estavam ali, colorindo meu caminho, mas eu nunca havia reparado. Minha mãe é a responsável por todas elas: desde o seu plantio até os cuidados mais especiais, ela sempre dá sua atenção e devido carinho. Dia desses me deparei com uma única flor que tinha cores infinitas. Me apaixonei. Imediatamente minha mãe veio me contar a história dela e o porquê d’eu nunca tê-la visto antes.


Pare por um minuto e observe essa pintura. Não tinha razão em me apaixonar?

Foi depois dela que, na manhã seguinte, catei minha mãe pelo braço e fui com ela, caminhando, fotografando e ouvindo histórias, encantos, experiências de só quem plantou sabe a importância de elas estarem floridas hoje. Acho que a preferida dela é a orquídea, uma que só dá uma vez ao ano. A minha flor preferida é ela, minha Sol, que exala alegria, sabedoria e vida.

Todas estão no meu Flickr. ♥

Continue Reading

NENHUM LIMITE

Dia 9 de setembro a gente sempre comemorava o aniversário da minha avó. E, para não deixar o dia cair na saudade, fomos ao Rio pegar uns documentos e aproveitar pra levar as meninas no Engenhão e assistir aos jogos das Paralimpíadas.
A começar: eu não concordo em padronizar a titulagem só por conta do Comitê Paralímpíco Internacional. Ei, nós também temos regras! E, segundo nosso mestre Pasquale, não deveríamos retirar o “o” de jeito maneira. Confira o artigo aqui.

 

Bem, independente de qualquer situação, nosso intuito foi nos divertir e estar no clima de alegria que o Rio de Janeiro vive nessa temporada. Mas, desde a compra dos ingressos já houve um estresse. Vou contar: Ingressos a R$10? Caramba! Dado! Queremos. No site, não era bem assim. Não tinha disponibilidade para este tipo de compra. Era, na verdade, R$40. Ah, estamos felizes por poder participar de algo único e, mesmo assim, adquiri. No dia seguinte, ─ veja bem: seguinte ─ o site mostrava a mesma data, para os mesmos horários, os tais ingressos de R$10. Ou seja, vamos fazer a reclamação. Até que a atendente foi muito educada e solícita ao telefone e me informou que eu teria o direito de ser ressarcida. Dias depois, recebi um email, mas, na conta do cartão, ainda estava a diferença de mais de R$130,00… aff! E, pra completar, o meu lugar que antes era marcado, não será mais. Ou seja, de nada adiantaria comprar com rapidez… aff! Mas, vamos nós.

 

E em 9 de setembro lá estávamos pra entrar, torcer e prestigiar o nosso Brasil! Assistimos aos saltos à distância femininos bem de perto, em que a francesa Marie-Amelie consagrou-se campeã com um recorde mundial! Numa grande “gaiola” tinham as atletas de arremesso de peso feminino ─ vimos com dificuldade ─ e, do outro lado do estádio, o lado mais vazio, rolou o atletismo. Não vimos de perto, mas conhecemos nomes como Terezinha Guilhermina, Fabio Bordignon e o incrível Daniel Martins que trouxe pra gente a medalha de ouro nos 400m, correndo o Engenhão todo e passando como um foguete aos nossos olhos. Infelizmente as entregas de medalha e hasteada das bandeiras foram do outro lado do estádio, super vazio, mas acompanhamos no telão e sentimos um arrepio no coração quando tocou o hino de nossa pátria e Daniel estava emocionado ao cumprir com honra o que prometeu fazer de melhor.

Tá aqui embaixo um compilado de momentos bacanas dessa tarde de sexta-feira. Vale o clique!

Foi bom demais estar com minha família, unida, torcendo feliz. Foi bom demais ver a quantidade de policiais ao entorno do Engenhão e sentir-se segura. Foi bom demais participar de uma ola que acabou na quinta volta. Foi bom demais sentir o clima inexplicável de pessoas do bem unidas para aplaudir outras. Valeu a pena ver que não temos nenhum limite para ser feliz.

Continue Reading

OFICIALIZANDO NOSSA UNIÃO

É que quando a mulher fica noiva, dá um friquenique doido e a gente quer logo planejar o casamento. Não foi diferente comigo. Nunca tinha pensado de fato entrar em um altar, em uma igreja. Não sou muito religiosa. Mas, de aproveitar nosso momento, isso sim!
E foi em janeiro de 2014, num restaurante/bar/lounge aqui em Petrópolis, com vista gigante para o Rio e mata atlântica, que decidimos oferecer a cerimônia religiosa do nosso casamento. Diego tem dois tios pastores e, de coração aberto e com muito amor, eles nos deram suas palavras de glória como um imenso presente para toda a nossa vida. Alguns parentes e amigos mais chegados estavam presentes e, juntos, pudemos celebrar o amor.
Deem uma olhadinha em algumas fotos, clicadas com carinho por Thyago Nogueira.









Se quiserem saber de mais detalhes do nosso casamento, ou mais fotos, comenta aqui embaixo que faço um post beeem explicadinho pra vocês, ok? ♥

Continue Reading

PRIORIDADES

Talvez esse seja um post mais sério. Talvez não. Depende de quem vai ler, quando ler e como ler. Tenho 28 anos de idade, já passei por algumas coisas na vida, mas sempre espero passar por muito mais. Sejam boas ou ruins, todas as “coisas” que passamos na vida são necessárias pra fazer a gente crescer. Acredite.
Na minha infância, queria ser a Xuxa. Veja bem… não era Paquita, era a Xuxa. E fazia de um tudo pra chegar o mais perto possível: saias, cabelo, microfone, danças e cantos. Naquele momento, prioridade pra mim era me dedicar aquilo, e me sentir feliz.
Mais crescidinha, queria aprender inglês. Fui matriculada num curso semi-particular, um ano depois a teacher teve que mudar prum bairro super distante, mas isso não me impediu de continuar. O curso acabou, mas me matriculei em outro. Era aos sábados de manhã, e esse era o  pior dia pra uma adolescente que saía às sextas-feiras, mas, fortemente, concluí o curso aos sábados. Firmemente. Esta era a prioridade. E consegui.
Ano passado, tinha a meta de trocar umas coisas dentro de casa: armários da cozinha, cama, itens de banheiro. Muita pesquisa, formas de pagamento, etc e tal, consegui. Minha prioridade foi concluída.
Hoje, tenho novas prioridades, também conhecidas como metas. Para se conseguir chegar onde se quer, não tem jeito: temos que abrir mãos de algumas outras coisas. E não estou falando de dinheiro… estou falando de tempo. É ele que manda em nossas vidas. Pense bem.
E, como uma dica para segredo de felicidade, posso até me arriscar em unir esses dois itens: tempo + prioridades. É que se você souber somar, juntar, agregar tempo com suas maiores prioridades, você certamente conseguirá chegar à sua meta, concluindo assim mais uma etapa de sua vida, fazendo com que você tenha vontade para planejar uma próxima com muita felicidade, se sentindo útil e capaz.

Hoje, ainda cheia de vontade de viver, deixo minhas palavras. Mantenho minhas vontades. Sobrevivo às pedras do caminho pra concluir minhas prioridades. E você, tem prioridades?

Continue Reading

MÃES = MITOS

Tomando um vinho na casa de Laríssa, Felipe comenta sobre um post que viu. Ali tinha a figura de uma mãe perdida com as palavras para definir a atual profissão de sua filha. Quase que como uma piada nós nos perguntamos: e as nossas mães, sabem o que fazemos? Todos, juntos, riram, e em unanimidade, respondemos que não.
No mundo de hoje, o jovem é patrão, funcionário e estagiário ~ tudo ao mesmo tempo, sem cabimento ~. Para os mais empreendedores, ainda ouso a definir “corajoso” como uma função. É que o mundo está ao contrário e ninguém reparou, como dizia a poeta. Ninguém tem mais a obrigação de pensar num futuro onde estar dentro de uma empresa de 7h da manhã às 18h da tarde, chegar em casa depois de 1h de trânsito [quando suave], preparar a marmita do dia seguinte e dormir após assistir a novela das 20h. Ninguém mais quer pensar em rotina, mas nem tem ideia do drama que é não tê-la.

Dia seguinte, antes do almoço, sugeri minha mãe, Solange, para definir, em uma frase, qual é a minha profissão. Depois de exatos cinco segundos pensando, num silêncio crucial, mas sorriso irônico no rosto, ela responde com as exatas palavras:
─ “Designer gráfico é o Diego. Você é formada em Comunicação Social!”
E eu:
─ Mas, o que eu faço para ganhar dinheiro?
Ela riu, e lançou:
─ Ihhhh, que dinheiro?
Mas, eu insisti:
─ Mas, agora sério, qual é a minha profissão?
Ela bem que tentou:
─ Manter contato com os clientes. Public relations, pra divulgar os seus produtos. Vocês fazem vários: capas de livros, outdoor, bottons. Ah, não sei Raquel, não enche o saco! Me responde aí, o que você faz?

• Conclusão: mães = mitos.


Raquel Barcellos é graduada pela UNESA em Comunicação Social – Publicidade e Propaganda, pós graduada pela UNINTER com MBA em Administração e Marketing. Trabalha em sua própria casa de design, a Redz, gerenciando contas, contatos, mídia, conteúdo web e financeiro. Abusada, cria bottons personalizados como hobby e tem uma lojinha no Enjoei.

Continue Reading